Caderno com CanetasOs sistemas de classificação são divididos em artificiais, aqueles que não se baseiam na relação do grau de parentesco evolutivo entre seres vivos, e naturais os que buscam entender essa relação.

Como dito anteriormente, a parte da Biologia responsável pela nomenclatura e classificação dos seres vivos é chamada de taxonomia. O professor e médico sueco Carl Von Linné foi importante na definição desse sistema, em 1735, descrevendo o livro Systema Naturae. Ele acreditava que os seres vivos foram formados por uma divindade e desde a criação do mundo, o número de espécies que surgiram no planeta era contínua.

Taxonomia de Lineu

O método de classificação dos seres vivos foi proposto por Carl Von Linné, no português, Lineu. Ele era um médico e botânico sueco que reuniu os seres vivos em cinco grupos taxonômicos: reino, classe, ordem, gênero e espécie. Após sua classificação, foram acrescentados mais outros dois grupos: Filo ou Divisão e Família.

As espécies semelhantes se agrupam no mesmo gênero. Gêneros semelhantes são agrupados em uma mesma família. Famílias semelhantes são agrupadas numa mesma ordem, que são agrupadas em classes, depois em mesmos filos ou divisões e, por último, em reinos.

A partir do sistema de Lineu, modificações foram feitas. Os sistemas atuais, com base no parentesco evolutivo entre espécies, procuram testar hipóteses e construir a filogenia ou filogênese, que seria estabelecer as principais linhas de evolução dos grupos e não acreditavam na ideia de que as espécies eram imutáveis.

A área que estuda a taxonomia e a filogenia é chamada de Sistemática.

Conhecendo um pouco da Sistemática

De acordo com as teorias evolutivas, as espécies foram definidas como:

“Espécie é um agrupamento de populações naturais, realmente ou potencialmente intercruzantes, produzindo descendentes férteis e reprodutivamente isolados de outros grupos de organismo”.

Esse conceito é aceito para os organismos de reprodução sexuada e ele significa que as espécies separadas naturalmente pelas condições geográficas não se cruzam. Em contrapartida, se forem colocadas no mesmo local artificialmente, se cruzam gerando descendentes férteis.

Os organismos cuja reprodução é assexuada são agrupados de acordo com suas características morfológicas, físicas e genéticas. Porém, a definição de espécie apresentada acima, apresenta limitações e por isso foram dadas outras definições de espécies.

Atualmente, a diversidade de seres vivos surgiu dos processos de evolução, entendidos como anagênese (quando muda ao longo do tempo, gerando as novidades evolutivas: mutações, recombinações genéticas através da seleção natural, onde os mais fortes são aqueles que sobrevivem) e cladogênese (quando há rupturas numa população original gerando duas ou mais populações que se separaram, podendo cada uma ter sua própria história evolutiva).

A sistemática se preocupa em entender esses processos evolutivos das espécies e classificá-las de acordo com essa evolução. A partir disso, é possível formular hipóteses, confiáveis ou pouco confiáveis.

As duas escolas de classificação: Evolutiva e Filogenética

Duas escolas baseadas em princípios evolutivos surgiram para classificação dos seres vivos:

  • Sistemática Evolutiva;
  • Sistemática Filogenética ou Cladística.

Evolução dos GatosA grande discordância exiEvolução dos Gatosstente é que a evolutiva não possui um método para testar hipóteses, sendo ela superficial. Já a escola filogenética possui um método capaz de estabelecer melhor as relações evolutivas entre diferentes grupos. Eles utilizam vários aspectos, e como os números de dados são grandes, programas de computador são utilizados. Há diferença entre as duas escolas. Mas a filogenética, a preferida dos pesquisadores, que de acordo com o caráter da espécie, analisa a condição primitiva que ocorre em um ancestral, condição derivada que surge a partir da primitiva.

As análises filogenéticas são feitas por meio de cladogramas que são diagramas que mostram as relações entre os seres vivos. Eles são complexos e envolvem grande número de caracteres. A escola filogenética, também definiu espécie como sendo um grupo ou populações definidas por uma ou mais condições derivadas, constituindo o menor agrupamento taxonômico reconhecível. Essa definição se aplica a todos os organismos de reprodução assexuada ou sexuada e pode ser usada tanto para espécies recentes, quanto para fósseis.

Evolução constante

A sistemática é a área da Biologia que mais cresce, pois com os avanços surgem dados desconhecidos anteriormente. Isso muda a classificação dos seres vivos. Há divergências nesses estudos, pois com o passar dos dias outras hipóteses e espécies vão sendo descobertas.